The prettier you are, the uglier you’ll feel.The

The prettier you are, the uglier you’ll feel.

The smarter you get, the more anxieties you’ll be able to think up.

For each friend you make, there’s one you may lose.

Having nothing, is having nothing to lose.

But having nothing implies not having gained anything, either.

For each choice you make, you pick a path and erase another. There is no wining without losing. There is no accepting without dennying.

And that is,should be,  okay.

Anúncios

What am I doing with my life?

It feels so still that it might actually be moving backwards.

What am I doing with my life?

I don’t have the drive to do what I must, the balls to say what I feel, the spine to be who I want.

What am I doing with my life.

I whine and push people away, overbear and overtire, and I can see it happening, but don’t know how to stop.

What am I doing with my life?

Maybe just [redacted] it.

concorrentes

Ai você acha, por algum motivo, que, apesar da gastrite, sono e afins, beber meio litro de chá mate às 3 horas da manhã é uma boa idéia. Talvez porque você estava falando de chimarrão mais cedo, talvez porque acabou o chá de erva doce, talvez simplesmente porque você estava com sede, enfim.

Então os estimulantes da erva entram em ação, mas sem ninguém com quem conversar, afinal são 4 da manhã, seus pensamentos entram em overdrive:

série. porque o escritor fez isso. credo. nossa, e quando você tem um bom conselho, dado por motivos que você suspeita serem ruins, e ai? machismo. argh. complicado. relacionamentos. argh, mais complicado ainda. ciúmes. o que eu quero. o que eu não quero. o que será que eu quero? melhor me ocupar com alguma coisa. joguinhos. quanto tempo eu gasto com eles. quanto eu realmente me divirto desse tempo. como as vezes eles me ajudam a pensar. mas e as superstições que eu crio em cima do resultado? bleh. queria ver um filme, mas tô agitada demais pra isso. queria escrever, mas não sei sobre o que. hm. hm. caralho, não para. meu estômago, ugh, dor. gastrite? nervoso. cacete. tremendo. preciso me ocupar com algo. preciso.

E assim se escreve um post na tentativa de evitar um ataque de pânico.

Percepção

“Everyone leaves”, proclamam centenas de músicas, poemas, filme e blogs adolescentes. Só jogar no google, que você vê – a quantidade de resultados dá nos oito dígitos. Todos se vão. Todos no abandonam.

É sempre horrível quando alguém com o qual você se importou tanto some de sua vida, não é? Exceto, é claro, por todas as vezes que isso acontece de maneira gradual, sem sequer você notar. Quem nunca teve um melhor amigo que, de repente, 5 anos se passaram sem se falar e, se te perguntarem, você não faz idéia porque?

“Ah”, mas você pode, e provavelmente irá, pensar, “isso é diferente. É um afastamento natural, ocorre com o tempo”. Não é, de maneira alguma, a mesma coisa que ocorreu com seu outro melhor amigo, que, aquele cretino, simplesmente parou de te ligar. Exceto que, provavelmente? A única diferença desta vez é que você está do outro lado. 

Claro, nem todos afastamentos ocorrem dessa maneira, lenta e gradual. Aquele f.d.p. que te largou foi super abrupto! Afinal, estava tudo tão bem. Foi tão, assim, do nada. É, é suuuuper normal acordar um dia e simplesmente nunca mais querer ver alguém de quem você gosta. Acontece sempre comigo, com você não? Aposto que todos os pés que você deu foram assim! 

Assim como todas as coisas que fazemos tem reação, tudo que os outros fazem tem motivo. E, advinha, as vezes essas duas coisinhas são as mesmas! Talvez o seu amigo não seja um escroto que te mandou tomar no cu por nada. Talvez você tenha feita diversas coisas para ofender ele ao longo dos últimos tempos e ele se cansou disso. Talvez seu ex não tenha simplesmente cansado de você um dia, e sim que meses de um relacionamento abusivo tenham compensado qualquer sentimento.

As pessoas se vão, é fato. Pense em todos aqueles amigos da infância que você achou que ficariam com você pra sempre, sequer lembra o nome de todos? As pessoas se vão. Nós nos vamos. E nós muitas vezes as afastamos.  O set de regras que governa o comportamento humano, é basicamente o mesmo para todos. Todos os outros fatores que jogamos em cima que criam a diversidade. Pode ser que, quando não sabemos esses fatores, tudo parece ilógico. Normal, são muitos. Demais. Porém talvez as coisas fiquem mais claras ao parar de buscar todas as razões para o nosso sofrimento fora de nossas ações. 

Claro, as vezes o sentimento simplesmente não era tão grande do outro lado e a pessoa esqueceu de você por chance. As vezes estava tudo bem, mas outra pessoa mais interessante apareceu. Acontece. Mas pense nas vezes que você foi o “abandonador”. Você diria que são a maioria?